RELÓGIO Digital clock - DWR

sábado, 15 de abril de 2017

Filipenses: Capitulo: 1

1. Paulo e Timóteo, servos de Cristo Jesus, a todos os santos em Cristo Jesus que estão com os bispos e diáconos em Filipos: 2. Graça a vós e paz da parte de Deus nosso Pai e do Senhor Jesus Cristo. 3. Dou graças ao meu Deus todas as vezes que me lembro de vós, 4. fazendo sempre súplicas por todos vós, em todas as minhas orações, com alegria, 5. em razão da vossa cooperação na causa do evangelho, desde o primeiro dia até agora. 6. E estou certo disto: aquele que começou a boa obra em vós irá aperfeiçoá-la até o dia de Cristo Jesus. 7. É justo que eu me sinta assim a respeito de todos vós, pois estais em meu coração, já que todos sois participantes comigo da graça, tanto nas minhas prisões quanto na defesa e na confirmação do evangelho. 8. Deus é testemunha de que tenho saudades de todos vós, com a terna misericórdia de Cristo Jesus. 9. E peço isto em oração: Que o vosso amor aumente cada vez mais no pleno conhecimento e em todo entendimento, 10. para que aproveis as coisas superiores, a fim de serdes sinceros e irrepreensíveis até o dia de Cristo, 11. cheios do fruto de justiça, que vem por meio de Jesus Cristo, para glória e louvor de Deus. 12. Irmãos, quero que saibais que as coisas que me aconteceram contribuíram para o avanço do evangelho; 13. a tal ponto de ficar claro para toda a guarda pretoriana e para todos os demais que é por Cristo que estou na prisão. 14. E, animados pelas minhas prisões, a maior parte dos irmãos no Senhor tem muito mais coragem para falar sem medo a palavra de Deus. 15. É verdade que alguns pregam Cristo até mesmo por inveja e discórdia, mas outros o fazem com boas intenções. 16. Estes o fazem por amor, sabendo que fui posto aqui para defesa do evangelho; 17. mas aqueles anunciam Cristo por discórdia, não com sinceridade, pensando que assim podem aumentar o sofrimento das minhas prisões. 18. Mas que importa? De qualquer forma, contanto que Cristo seja anunciado, quer por pretexto, quer não, alegro-me com isso e, sim, sempre me alegrarei. 19. Pois sei que isso resultará em salvação para mim, pela vossa súplica e pelo socorro do Espírito de Jesus Cristo, 20. segundo a minha intensa expectativa e esperança de que em nada serei decepcionado; pelo contrário, com toda a ousadia, tanto agora como sempre, Cristo será engrandecido no meu corpo, seja pela vida, seja pela morte. 21. Pois para mim o viver é Cristo, e o morrer é lucro. 22. Mas, se o viver no corpo resulta para mim em fruto do meu trabalho, não sei então o que escolher. 23. Sinto-me, porém, pressionado de ambos os lados, tendo desejo de partir e estar com Cristo, pois isso é muito melhor; 24. todavia, por vossa causa, acho mais necessário permanecer no corpo. 25. E, tendo esta confiança, sei que ficarei e permanecerei com todos vós para vosso desenvolvimento e alegria na fé; 26. para que cresça o motivo de vos orgulhardes em Cristo Jesus por minha causa, pela minha presença de novo entre vós. 27. Somente portai-vos de modo digno do evangelho de Cristo, para que, quer eu vá e vos veja, quer esteja ausente, ouça acerca de vós que permaneceis firmes num só espírito, combatendo juntos, com uma só alma, pela fé do evangelho, 28. e que em nada estais atemorizados pelos adversários. Para eles, isso é sinal de perdição, mas, para vós, de salvação, e isso vem de Deus. 29. Pois, por amor de Cristo, vos foi concedido não somente crer nele, mas também sofrer por ele, 30. tendo o mesmo combate que já vistes em mim e que agora sabeis que está em mim.

MATEUS: CAPITULO 20

1. Porque o reino do céu é semelhante a um proprietário que saiu de madrugada para contratar trabalhadores para a sua vinha. 2. Tendo combinado com os trabalhadores o salário de um denário por dia, mandou-os para a vinha. 3. Por volta da hora terceira saiu e viu que outros estavam ociosos na praça; 4. e disse-lhes: Ide também vós para a vinha, e eu vos darei o que for justo. E eles foram. 5. Saiu outra vez, por volta da hora sexta e da hora nona, e fez o mesmo. 6. De igual modo, por volta da décima primeira hora, saiu e encontrou outros que lá estavam; e perguntou-lhes: Por que estais aqui ociosos o dia todo? 7. Eles lhe responderam: Porque ninguém nos contratou. E ele lhes disse: Ide também vós para a vinha. 8. Ao anoitecer, o dono da vinha disse ao administrador: Chama os trabalhadores e paga-lhes o salário, começando pelos últimos até os primeiros. 9. Vindo os que chegaram por volta da décima primeira hora, receberam um denário cada um. 10. Quando os primeiros vieram, pensaram que receberiam mais; eles, porém, também receberam um denário cada um. 11. E, ao recebê-lo, queixaram-se do proprietário, dizendo: 12. Os que vieram por último trabalharam somente uma hora, e tu os igualaste a nós, que suportamos a fadiga do dia inteiro e o calor intenso. 13. Respondendo, ele disse a um deles: Amigo, não te faço injustiça; não combinaste comigo um denário? 14. Toma o que é teu e vai embora; quero dar a quem veio por último tanto quanto dei a ti. 15. Não me é permitido fazer o que quero com o que é meu? Ou os teus olhos são maus porque sou generoso? 16. Assim, os últimos serão os primeiros, e os primeiros serão os últimos. 17. Subindo para Jerusalém, Jesus chamou os Doze em particular e no caminho lhes disse: 18. Estamos subindo para Jerusalém, onde o Filho do homem será entregue aos principais sacerdotes e aos escribas, e eles o condenarão à morte 19. e o entregarão aos gentios para que zombem dele, o açoitem e o crucifiquem; mas ao terceiro dia ele ressuscitará. 20. Então, a mãe dos filhos de Zebedeu aproximou-se dele com seus filhos, prostrando-se e fazendo-lhe um pedido. 21. Jesus lhe perguntou: Que queres? Ela lhe respondeu: Concede que no teu reino estes meus dois filhos se sentem, um à tua direita, e outro à tua esquerda. 22. Jesus, porém, respondeu: Não sabeis o que pedis; podeis beber o cálice que estou para beber? Eles lhe responderam: Podemos. 23. Então lhes disse: Certamente bebereis do meu cálice; mas o sentar-se à minha direita e à minha esquerda, não me compete concedê-lo; isso será dado para quem está preparado por meu Pai. 24. Ao ouvirem isso, os dez indignaram-se contra os dois irmãos. 25. Então Jesus chamou-os para junto de si e lhes disse: Sabeis que os governantes dos gentios os dominam, e os seus poderosos exercem autoridade sobre eles. 26. Não será assim entre vós; pelo contrário, quem quiser tornar-se poderoso entre vós, seja esse o que vos sirva; 27. e quem entre vós quiser ser o primeiro, será vosso servo, 28. a exemplo do Filho do homem, que não veio para ser servido, mas para servir e para dar a vida em resgate de muitos. 29. Saindo eles de Jericó, uma grande multidão seguiu Jesus. 30. Dois cegos estavam sentados à beira do caminho e, ouvindo que Jesus passava, clamaram: Senhor, Filho de Davi, tem compaixão de nós. 31. E a multidão os repreendia para que se calassem; eles, porém, clamavam ainda mais alto: Senhor, Filho de Davi, tem compaixão de nós. 32. Jesus então parou, chamou-os e perguntou: Que quereis que eu vos faça? 33. Eles lhe disseram: Senhor, que nossos olhos sejam abertos. 34. Comovido, Jesus tocou os olhos deles; e eles imediatamente passaram a ver e o seguiram.