RELÓGIO Digital clock - DWR

quarta-feira, 18 de maio de 2016

1 REIS - CAPITULO 9

1 Reis – Capítulo 9 1 Sucedera pois que, tendo Salomão acabado de edificar a casa do Senhor, e a casa do rei, e tudo quanto lhe aprouve fazer, 2 apareceu-lhe o Senhor segunda vez, como lhe tinha aparecido em Gibeão. 3 E o Senhor lhe disse: Ouvi a tua oração e a tua súplica, que fizeste perante mim; santifiquei esta casa que edificaste, a fim de pôr ali o meu nome para sempre; e os meus olhos e o meu coração estarão ali todos os dias. 4 Ora, se tu andares perante mim como andou Davi, teu pai, com inteireza de coração e com eqüidade, fazendo conforme tudo o que te ordenei, e guardando os meus estatutos e as minhas ordenanças, 5 então confirmarei o trono de teu reino sobre Israel para sempre, como prometi a teu pai Davi, dizendo: Não te faltará varão sobre o trono de Israel. 6 Se, porém, vós e vossos filhos de qualquer maneira vos desviardes e nao me seguirdes, nem guadardardes os meus mandamentos e os meus estatutos, que vos tenho proposto, mas fordes, e servirdes a outros deuses, curvando-vos perante eles, 7 então exterminarei a Israel da terra que lhe dei; e a esta casa, que santifiquei a meu nome, lançarei longe da minha presença, e Israel será por provérbio e motejo entre todos os povos. 8 E desta casa, que é tão exaltada, todo aquele que por ela passar pasmará e assobiará, e dirá: Por que fez o Senhor assim a esta terra e a esta casa? 9 E lhe responderão: E porque deixaram ao Senhor seu Deus, que tirou da terra do Egito a seus pais, e se apegaram a deuses alheios, e perante eles se encurvaram, e os serviram; por isso o Senhor trouxe sobre eles todo este mal. 10 Ao fim dos vinte anos em que Salomão edificara as duas casas, a casa do Senhor e a casa do rei, 11 como Hirão, rei de Tiro, trouxera a Salomão madeira de cedro e de cipreste, e ouro segundo todo o seu desejo, deu o rei Salomão a Hirão vinte cidades na terra da Galiléia. 12 Hirão, pois, saiu de Tiro para ver as cidades que Salomão lhe dera; porém não lhe agradaram. 13 Pelo que disse: Que cidades são estas que me deste, irmão meu? De sorte que são chamadas até hoje terra de Cabul. 14 Hirão enviara ao rei cento e vinte talentos de ouro. 15 A razão da leva de gente para trabalho forçado que o rei Salomão fez é esta: edificar a casa do Senhor e a sua própria casa, e Milo, e o muro de Jerusalém, como também Hazor, e Megido, e Gezer. 16 Pois Faraó, rei do Egito, tendo subido, tomara a Gezer e a queimara a fogo, e matando os cananeus que moravam na cidade, dera-a em dote a sua filha, mulher de Salomão. 17 Salomão edificou Gezer, Bete-Horom a baixa, 18 Baalate, Tamar no deserto daquela terra, 19 como também todas as cidades-armazéns que Salomão tinha, as cidades dos carros as cidades dos cavaleiros, e tudo o que Salomão quis edificar em Jerusalém, no Líbano, e em toda a terra de seu domínio. 20 Quanto a todo o povo que restou dos amorreus, dos heteus, dos perizeus, dos heveus e dos jebuseus, que não eram dos filhos de Israel, 21 a seus filhos, que restaram depois deles na terra, os quais os filhos de Israel não puderam destruir totalmente, Salomão lhes impôs tributo de trabalho forçado, até hoje. 22 Mas dos filhos de Israel não fez Salomão escravo algum; porém eram homens de guerra, e seus servos, e seus príncipes, e seus capitães, e chefes dos seus carros e dos seus cavaleiros. 23 Estes eram os chefes dos oficiais que estavam sobre a obra de Salomão, quinhentos e cinqüenta, que davam ordens ao povo que trabalhava na obra. 24 Subiu, porém, a filha de Faraó da cidade de Davi à sua casa, que Salomão lhe edificara; então ele edificou Milo. 25 E Salomão oferecia três vezes por ano holocaustos e ofertas pacíficas sobre a altar que edificara ao Senhor, queimando com eles incenso sobre o altar que estava perante o Senhor, depois que acabou de edificar a casa. 26 Também o rei Salomão fez uma frota em Eziom-Geber, que está junto a Elote, na praia do Mar Vermelho, na terra de Edom. 27 Hirão mandou com aquela frota, em companhia dos servos de Salomão, os seus próprios servos, marinheiros que conheciam o mar; 28 os quais foram a Ofir, e tomaram de lá quatrocentos e vinte talentos de ouro, que trouxeram ao rei Salomão.

LUCAS - CAPITULO 1

Lucas – Capítulo 1 1 Visto que muitos têm empreendido fazer uma narração coordenada dos fatos que entre nós se realizaram, 2 segundo no-los transmitiram os que desde o princípio foram testemunhas oculares e ministros da palavra, 3 também a mim, depois de haver investido tudo cuidadosamente desde o começo, pareceu-me bem, ó excelentíssimo Teófilo, escrever-te uma narração em ordem. 4 para que conheças plenamente a verdade das coisas em que foste instruído. 5 Houve nos dias do Rei Herodes, rei da Judéia, um sacerdote chamado Zacarias, da turma de Abias; e sua mulher era descendente de Arão, e chamava-se Isabel. 6 Ambos eram justos diante de Deus, andando irrepreensíveis em todos os mandamentos e preceitos do Senhor. 7 Mas não tinham filhos, porque Isabel era estéril, e ambos avançados em idade. 8 Ora, estando ele a exercer as funções sacerdotais perante Deus, na ordem da sua turma, 9 segundo o costume do sacerdócio, coube-lhe por sorte entrar no santuário do Senhor, para oferecer o incenso; 10 e toda a multidão do povo orava da parte de fora, à hora do incenso. 11 Apareceu-lhe, então, um anjo do Senhor, em pé à direita do altar do incenso. 12 E Zacarias, vendo-o, ficou turbado, e o temor o assaltou. 13 Mas o anjo lhe disse: Não temais, Zacarias; porque a tua oração foi ouvida, e Isabel, tua mulher, te dará à luz um filho, e lhe porás o nome de João; 14 e terás alegria e regozijo, e muitos se alegrarão com o seu nascimento; 15 porque ele será grande diante do Senhor; não beberá vinho, nem bebida forte; e será cheio do Espírito Santo já desde o ventre de sua mãe; 16 converterá muitos dos filhos de Israel ao Senhor seu Deus; 17 irá adiante dele no espírito e poder de Elias, para converter os corações dos pais aos filhos, e os rebeldes à prudência dos justos, a fim de preparar para o Senhor um povo apercebido. 18 Disse então Zacarias ao anjo: Como terei certeza disso? pois eu sou velho, e minha mulher também está avançada em idade. 19 Ao que lhe respondeu o anjo: Eu sou Gabriel, que assisto diante de Deus, e fui enviado para te falar e te dar estas boas novas; 20 e eis que ficarás mudo, e não poderás falar até o dia em que estas coisas aconteçam; porquanto não creste nas minhas palavras, que a seu tempo hão de cumprir-se. 21 O povo estava esperando Zacarias, e se admirava da sua demora no santuário. 22 Quando saiu, porém, não lhes podia falar, e perceberam que tivera uma visão no santuário. E falava-lhes por acenos, mas permanecia mudo. 23 E, terminados os dias do seu ministério, voltou para casa. 24 Depois desses dias Isabel, sua mulher, concebeu, e por cinco meses se ocultou, dizendo: 25 Assim me fez o Senhor nos dias em que atentou para mim, a fim de acabar com o meu opróbrio diante dos homens. 26 Ora, no sexto mês, foi o anjo Gabriel enviado por Deus a uma cidade da Galiléia, chamada Nazaré, 27 a uma virgem desposada com um varão cujo nome era José, da casa de Davi; e o nome da virgem era Maria. 28 E, entrando o anjo onde ela estava disse: Salve, agraciada; o Senhor é contigo. 29 Ela, porém, ao ouvir estas palavras, turbou-se muito e pôs-se a pensar que saudação seria essa. 30 Disse-lhe então o anjo: Não temas, Maria; pois achaste graça diante de Deus. 31 Eis que conceberás e darás à luz um filho, ao qual porás o nome de Jesus. 32 Este será grande e será chamado filho do Altíssimo; o Senhor Deus lhe dará o trono de Davi seu pai; 33 e reinará eternamente sobre a casa de Jacó, e o seu reino não terá fim. 34 Então Maria perguntou ao anjo: Como se fará isso, uma vez que não conheço varão? 35 Respondeu-lhe o anjo: Virá sobre ti o Espírito Santo, e o poder do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra; por isso o que há de nascer será chamado santo, Filho de Deus. 36 Eis que também Isabel, tua parenta concebeu um filho em sua velhice; e é este o sexto mês para aquela que era chamada estéril; 37 porque para Deus nada será impossível. 38 Disse então Maria. Eis aqui a serva do Senhor; cumpra-se em mim segundo a tua palavra. E o anjo ausentou-se dela. 39 Naqueles dias levantou-se Maria, foi apressadamente à região montanhosa, a uma cidade de Judá, 40 entrou em casa de Zacarias e saudou a Isabel. 41 Ao ouvir Isabel a saudação de Maria, saltou a criancinha no seu ventre, e Isabel ficou cheia do Espírito Santo, 42 e exclamou em alta voz: Bendita és tu entre as mulheres, e bendito é o fruto do teu ventre! 43 E donde me provém isto, que venha visitar-me a mãe do meu Senhor? 44 Pois logo que me soou aos ouvidos a voz da tua saudação, a criancinha saltou de alegria dentro de mim. 45 Bem-aventurada aquela que creu que se hão de cumprir as coisas que da parte do Senhor lhe foram ditas. 46 Disse então Maria: A minha alma engrandece ao Senhor, 47 e o meu espírito exulta em Deus meu Salvador; 48 porque atentou na condição humilde de sua serva. Desde agora, pois, todas as gerações me chamarão bem-aventurada, 49 porque o Poderoso me fez grandes coisas; e santo é o seu nome. 50 E a sua misericórdia vai de geração em geração sobre os que o temem. 51 Com o seu braço manifestou poder; dissipou os que eram soberbos nos pensamentos de seus corações; 52 depôs dos tronos os poderosos, e elevou os humildes. 53 Aos famintos encheu de bens, e vazios despediu os ricos. 54 Auxiliou a Isabel, seu servo, lembrando-se de misericórdia 55 (como falou a nossos pais) para com Abraão e a sua descendência para sempre. 56 E Maria ficou com ela cerca de três meses; e depois voltou para sua casa. 57 Ora, completou-se para Isabel o tempo de dar à luz, e teve um filho. 58 Ouviram seus vizinhos e parentes que o Senhor lhe multiplicara a sua misericórdia, e se alegravam com ela. 59 Sucedeu, pois, no oitavo dia, que vieram circuncidar o menino; e queriam dar-lhe o nome de seu pai, Zacarias. 60 Respondeu, porém, sua mãe: De modo nenhum, mas será chamado João. 61 Ao que lhe disseram: Ninguém há na tua parentela que se chame por este nome. 62 E perguntaram por acenos ao pai como queria que se chamasse. 63 E pedindo ele uma tabuinha, escreveu: Seu nome é João. E todos se admiraram. 64 Imediatamente a boca se lhe abriu, e a língua se lhe soltou; louvando a Deus. 65 Então veio temor sobre todos os seus vizinhos; e em toda a região montanhosa da Judéia foram divulgadas todas estas coisas. 66 E todos os que delas souberam as guardavam no coração, dizendo: Que virá a ser, então, este menino? Pois a mão do Senhor estava com ele. 67 Zacarias, seu pai, ficou cheio do Espírito Santo e profetizou, dizendo: 68 Bendito, seja o Senhor Deus de Israel, porque visitou e remiu o seu povo, 69 e para nós fez surgir uma salvação poderosa na casa de Davi, seu servo; 70 assim como desde os tempos antigos tem anunciado pela boca dos seus santos profetas; 71 para nos livrar dos nossos inimigos e da mão de todos os que nos odeiam; 72 para usar de misericórdia com nossos pais, e lembrar-se do seu santo pacto 73 e do juramento que fez a Abrão, nosso pai, 74 de conceder-nos que, libertados da mão de nossos inimigos, o servíssemos sem temor, 75 em santidade e justiça perante ele, todos os dias da nossa vida. 76 E tu, menino, serás chamado profeta do Altíssimo, porque irás ante a face do Senhor, a preparar os seus caminhos; 77 para dar ao seu povo conhecimento da salvação, na remissão dos seus pecados, 78 graças à entrenhável misericórdia do nosso Deus, pela qual nos há de visitar a aurora lá do alto, 79 para alumiar aos que jazem nas trevas e na sombra da morte, a fim de dirigir os nossos pés no caminho da paz. 80 Ora, o menino crescia, e se robustecia em espírito; e habitava nos desertos até o dia da sua manifestação a Israel.

PROVÉRBIOS - CAPITULO 1

Provérbios – Capítulo 1 1 Provérbios de Salomão, filho de Davi, rei de Israel: 2 Para se conhecer a sabedoria e a instrução; para se entenderem as palavras de inteligência; 3 para se instruir em sábio procedimento, em retidão, justiça e eqüidade; 4 para se dar aos simples prudência, e aos jovens conhecimento e bom siso. 5 Ouça também, o sábio e cresça em ciência, e o entendido adquira habilidade, 6 para entender provérbios e parábolas, as palavras dos sábios, e seus enigmas. 7 O temor do Senhor é o princípio do conhecimento; mas os insensatos desprezam a sabedoria e a instrução. 8 Filho meu, ouve a instrução de teu pai, e não deixes o ensino de tua mãe. 9 Porque eles serão uma grinalda de graça para a tua cabeça, e colares para o teu pescoço. 10 Filho meu, se os pecadores te quiserem seduzir, não consintas. 11 Se disserem: Vem conosco; embosquemo-nos para derramar sangue; espreitemos sem razão o inocente; 12 traguemo-los vivos, como o Seol, e inteiros como os que descem à cova; 13 acharemos toda sorte de bens preciosos; encheremos as nossas casas de despojos; 14 lançarás a tua sorte entre nós; teremos todos uma só bolsa; 15 filho meu, não andes no caminho com eles; guarda da sua vereda o teu pé, 16 porque os seus pés correm para o mal, e eles se apressam a derramar sangue. 17 Pois debalde se estende a rede à vista de qualquer ave. 18 Mas estes se põem em emboscadas contra o seu próprio sangue, e as suas próprias vidas espreitam. 19 Tais são as veredas de todo aquele que se entrega à cobiça; ela tira a vida dos que a possuem. 20 A suprema sabedoria altissonantemente clama nas ruas; nas praças levanta a sua voz. 21 Do alto dos muros clama; às entradas das portas e na cidade profere as suas palavras: 22 Até quando, ó estúpidos, amareis a estupidez? e até quando se deleitarão no escárnio os escarnecedores, e odiarão os insensatos o conhecimento? 23 Convertei-vos pela minha repreensão; eis que derramarei sobre vós o meu; espírito e vos farei saber as minhas palavras. 24 Mas, porque clamei, e vós recusastes; porque estendi a minha mão, e nao houve quem desse atenção; 25 antes desprezastes todo o meu conselho, e não fizestes caso da minha repreensão; 26 também eu me rirei no dia da vossa calamidade; zombarei, quando sobrevier o vosso terror, 27 quando o terror vos sobrevier como tempestade, e a vossa calamidade passar como redemoinho, e quando vos sobrevierem aperto e angústia. 28 Então a mim clamarão, mas eu não responderei; diligentemente me buscarão, mas não me acharão. 29 Porquanto aborreceram o conhecimento, e não preferiram o temor do Senhor; 30 não quiseram o meu conselho e desprezaram toda a minha repreensão; 31 portanto comerão do fruto do seu caminho e se fartarão dos seus próprios conselhos. 32 Porque o desvio dos néscios os matará, e a prosperidade dos loucos os destruirá. 33 Mas o que me der ouvidos habitará em segurança, e estará tranqüilo, sem receio do mal.

COMO MANTER A FÉ EM UM MUNDO DE PECADOS?

Como manter a fé em um mundo de pecados? Saiba qual é o pensamento que você deve ter! Diariamente vemos na mídia tristes notícias sobre a violência, as impurezas e a maldade presentes neste mundo. E não somente nas mídias, mas esse quadro difícil faz parte, muitas vezes, do nosso próprio dia a dia. O Senhor Jesus disse que aqueles que obedecem aos mandamentos dEle são os que O amam de verdade, e esse é um dos motivos pelos quais temos que seguir as orientações de Deus, nos mantendo distantes da sujeira deste mundo. Contudo, quando vemos tanta iniquidade na humanidade podemos até pensar: como podemos nos manter longe dos pecados e da maldade se estamos rodeados por eles? A resposta para essa pergunta pode ser encontrada no seguinte trecho bíblico: “Não atentando nós nas coisas que se veem, mas nas que se não veem; porque as que se veem são temporais, e as que se não veem são eternas.” 2 Coríntios: cap: 4 ver: 18 Em outras palavras, o nascido de Deus não pode se focar no que acontece agora, ao contrário, tem que manter os pensamentos firmes nas promessas de Deus. O Senhor não mudará a Sua palavra. Tudo o que Ele falou, irá se cumprir. Portanto, não se esqueça de perseverar olhando para Ele e para as orientações que vêm dEle.